terça-feira, 19 de abril de 2011

Québec e o inglês!

Como quase todo mundo sabe, aqui em Ville de Québec não se fala inglês, nunca, nunquinha, jamais...tirando, é claro, os ambientes de trabalho onde há contato com a parte inglesa do Canadá ou Estados Unidos...mas no dia-a-dia o francês é lei, diferente de Montréal e arredores, onde fala-se as duas línguas na mesma proporção e até na mesma frase, podendo começar a conversa em inglês, mudar para o francês e terminar em "franglês", o que é muito comum nas bandas de lá. E isso é um assunto que nos intriga um pouco (aqui em casa) pois gostaríamos de aprender bem o inglês, pois hoje em dia se tornou meio de sobrevivência em qualquer parte do mundo a fluência do inglês, menos em Ville de Québec, é claro, rs! Aqui o fato de ser bilíngue pode te abrir muitas portas, você terá um plus que outros não tem...mas você consegue sobreviver falando bem o francês. O fato é que percebo que aqui eles tem uma enorme dificuldade com o inglês, até uma certa resistência em introduzir palavras em inglês ao vocabulário, quando não tem escapatória, eles dão aquela "afrancesada" na palavra tornando-a completamente bizarra. Além do fato de terem uma "rixa" enorme com os ingleses e tal e o enorme esforço que o Québec faz para manter o francês ainda como língua oficial do Québec, mas para mim, isso não justifica a tamanha falta de bom senso que eles tem ao "afrancesarem" as palavras em inglês.

As professoras do Rica na garderie o ensinam a falar um inglês totalmente bizarro e isto me dá nos nervos...pois toda a criançadinha da escola repete diariamente as bizarrices e certas palavras o Rica já fala neste inglês indecente...exemplos?? Os nomes do super-heróis, o Spiderman é "Spidermã", o Batman, é "Batmã" (com ênfase no mã), todos os botões para ligar qualquer coisa é PLAY (pronuncia-se com A e não E), inclusive o video game é PLAYSTATION, que de forma "afrancesada" chama-se "plaistación), pronúncia do A e do C....(oi????) e não pára por aí.... a palavra girl eles dizem "górrr"......e os estados americanos então: Manhatan é "Mãnatãn" e assim vai...quando falam de atores ou atrizes famosos eu demoro um certo tempo para descobrir de quem estão falando...pois transformam totalmente o nome do sujeito...

Que que é isso???? minha gente...uma bizarrice sem tamanho...ouvi dizer que na escola normal as crianças começam com aulas de inglês de verdade, eu espero que eles consigam esquecer este inglês porco após aprenderem na aulinha de inglês...porque, vamos combinar.....é uma vergonha estarem ao lado do universo anglófono, nascerem num país bilíngue e não terem noção nenhuma do que estão falando.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Um pouquinho de Brasil em Québec



Minha amiga Néma, de Ontário, experimentando o guaraná, rs...





No fim de semana passado fomos conhecer a churrascaria brasileira que abriu aqui em Ville de Québec, o famoso Le Milsa, deu para matar um pouquinho as saudades que estávamos de comer carne realmente boa, coisa difícil de achar por estas bandas, com exceção do filé mignon, é claro, que é bom em qualquer lugar. Já tentamos comprar carne de fora, de alguns açougues que os brasileiros constumam comprar em outras cidades, mas para fazer no dia-a-dia, aquele bifinho acebolado, não rolou...ela só fica boa se for feita churrasco.....no dia-a-dia ainda prefiro ficar com o peixe, o frango e o porco.... não gostamos do sabor da carne aqui que é diferente da carne do Brasil. Enfim, comprei pela internet cupons de desconto numa promoção (mania por aqui) e fomos lá... foi bacana, mas nada comparado à variedade que temos no Brasil, o ambiente é super agradável, nos telões fica passando imagens do carnaval do Rio de Janeiro, tem um mini show de samba com dançarinas que acredito que sejam daqui mesmo.

Nós fomos com alguns amigos brasileiros, mas a maior parte do nosso grupo era de canadenses, eles adoraram o lugar e elogiaram a comida, mas para nós, que estamos acostumados a comer muito bem no Brasil, acho que paga-se muito caro pelo que o lugar oferece e o serviço, o rodízio começa bem, mas logo começa a demora de mais de 15 minutos para o garçon trazer algo na mesa, para se ter uma idéia do valor, que sei que todo mundo tem curiosidade, o valor normal é $ 25,00 por pessoa, com os cupons pagamos $10,00 cada um, mesmo assim, a nossa conta deu quase $100,00 (o casal) queriam cobrar mais 15 dólares da parte do Rica, mas bati o pé, pois vi que até 5 anos não cobram da criança, e olha que nem tomamos a caipirinha, eu tava tomando remédio para gripe e ficamos só no guaraná...que é o único refrigerante que gosto e tenho vontade de tomar.

Bom, vcs. podem até achar que estou sendo exigente, pão-dura ou coisa e tal...mas já comemos aqui muito bem em outros restaurantes pagando menos, um exemplo disso é o Montego Bar (Av. Maguire) e o simples e gostoso Casa Grecque, onde vc. escolhe se quer frutos do mar, massa ou carne (muito boa, por sinal) e gasta pouco. Bom, valeu a saída, que foi bem divertida e para conhecer valeu a experiência.