quinta-feira, 24 de junho de 2010

Meu primeiro aniversário no Canadá, Copa do mundo e festa de Saint Jean Baptiste!

Bagunça aqui em casa no jogo do Brasil!
Este foi o segundo dos 3 bolos de aniversário do dia!!

Empanadas colombianas no pic nic da francisação!


Nosso colega Robert (Romeno), exibindo um pedaço do pão delicioso que ele mesmo preparou!



PIC NIC com o pessoal da francisação!


Professora do Cégep!




Esta semana está sendo bem agitada por aqui! Domingo assistimos o jogo do Brasil aqui em casa com alguns amigos, foi divertido, com exceção à narração do jogo da Tv local aqui, que narra sem a menor emoção quando o Brasil faz gol, se vc. não está olhando diretamente p/ a tv vc. nem percebe que saiu gol, mas a animação ficou por nossa conta mesmo! Na segunda-feira foi meu aniversário, na francisação teve parabéns em vários idiomas, teve bolo, refri, ganhei um cartão maravilhoso dos meus colegas e professores e ganhei até presente dos meus amigos brazucas e companheiros da francisação, ADOREI!!! Neste dia, o Richard nem foi trabalhar, compramos um bolinho à tarde, buscamos o Rica na garderie mais cedo e comemoramos os três em casa! Recebi telefonemas de todas as pessoas queridas do Brasil e quando eu pensei que as comemorações já tinham terminado, recebi uma visita surpresa de três queridos amigos com mais bolo, parabéns e festa! Foi muito bacana!

No dia 23, para comemorar a festa de San Jean Baptiste (24/06 - Festa Nacional do Québec), fizemos um pic nic no parque com o pessoal da francisação e tivemos atividades de lazer organizadas pelos professores do Cégep, como se fosse uma gincana, teve jogo de futebol, queimada (caçador p/ o pessoal do sul), jogo de mímicas, etc...foi divertido a beça, o pessoal da nossa turma caprichou nos pratos do pic nic e comemos muuuuito bem!

Hoje, dia 24, amanheceu chovendo, tínhamos programado festejar o feriado nos parques maravilhosos aqui da cidade, mas não vai rolar, mas estou tão cansada que ficar em casa não é má idéia não! Ontem a noite aconteceu a grande festa do feriado, Richard chegou em casa tarde do trabalho e me disse que tinha muuuuita gente na rua, muita gente nos ônibus e dizem que é o dia em que todo quebecois enche a cara e sai nas ruas p/ festar! Eu realmente não tive a menor vontade de ir festar ou ver o show de fogos...fui é dormir cedo, depois de uma grande semana de comemorações!

sábado, 12 de junho de 2010

Experiência com o sistema de saúde de Québec!

Esta semana fiquei bem ruim, gripe, infecção de garganta, febre,... faltei dois dias de francisação, pois estava sem condições de ir mesmo! Já no primeiro dia me auto-mediquei com alguns remédios que trouxe do Brasil, como antibiótico, descongestionante, etc...mas vi que aqui nas farmácias os anti-gripais são bem mais potentes e comprei um ótimo, que me fazia dormir bem, bom, apesar de ver que estava melhorando, resolvi testar o tão "comentado" sistema de saúde, Na quinta-feira pela manhã, deixamos o Rica na garderie e fomos eu e Richard na clínica Saint-Louis que fica aqui em Saint Foy, perto de casa, abre às 8 horas, chegamos lá às 8 e 10, já estava lotada, a clínica é bem moderna e parecida com os bons hospitais que eu frequentava em Curitiba, fizemos um pequeno cadastro e aguardei 45 minutos, quando fui chamada por uma enfermeira que fez uma avaliação prévia do meu estado, viu pressão, temperatura, garganta, etc..ela foi bem atenciosa comigo.
Mesmo com a clínica lotada eu via que o atendimento sem rendez-vous era bem rápido, iam chamando um em seguida do outro, após ser atendida pela enfermeira, voltei p/ a sala de espera e aguardei mais 40 minutos, quando a médica me chamou, essa sim, foi bem objetiva e rápida, poucas perguntas, examinou pulmão, garganta, leu o que a enfermeira já havia escrito na ficha e me receitou que continuasse tomando os mesmos remédios que eu estava usando, pois viu que a infecção já tava indo embora, caso eu não melhorasse em dois dias, era para retornar a clínica.
No fim da consulta eu pedi uma declaração a ela para eu mostrar na francisação para abonar minhas faltas, afinal, 6 horas de faltas por dia é demais, sendo que podemos ter somente 25 horas de falta em toda a sessão! Enfim, foi super tranquilo, levou o tempo que eu levaria se fosse consultar um médico no Brasil sem consulta marcada...tanto que às 10 da manhã eu já estava em casa e o Richard conseguiu ir p/ a francisação p/ o segundo tempo!

quinta-feira, 3 de junho de 2010

3 meses de Canadá!

Este post está um pouco atrasadinho, mas tudo bem, aí vai! Dia 20/05 completamos 3 meses aqui! Às vezes parece que faz muito mais tempo, até porque quando chegamos a cidade estava com um visual completamente diferente, toda coberta de neve e fria! Agora está toda verde, muito bonita, florida e com dias ensolarados o que a deixa mais maravilhosa, mas de vez em quando ainda custo a acreditar que já estamos vivendo aqui, que já mudamos de país, pois foram tantos meses pensando na grande mudança, que por alguns minutos parece que a ficha ainda não caiu!
Sempre leio em todos os blogs da tal preparação necessária p/ vir, que devemos estar super preparados, estudar, pesquisar, ler, para quem tem filhos deve já entrar nas filas de espera por garderie, nos sites magarderie.com e bila, bom, em resumo deve-se adiantar tudo o que puder para chegar aqui com muita coisa "em mente"!
Pois bem. Eu concordo somente "em parte" com toda a tal "preparação" necessária p/ a viagem, na verdade o que eu realmente acho, sendo bem realista é que com $ se resolve quase tudo, vc. pode não ter "se preparado" em nada, mas se vier com muito $ vc. supre todos os problemas, o francês p/ se virar no dia a dia e se comunicar vc. aprende rapidamente estudando, entrando em algum curso assim que chegar, até porque no Brasil os cursos de línguas são caríssimos, professor particular tbm, aqui além vc. poder pagar um valor "simbólico" para estudar ( $45) por sessão de 6 meses no Phenix, vc. pode estudar de graça, como eu estudei no Mieux Être enquanto aguarda ser chamado p/ a francisação do governo!
É claro, isso p/ quem não pretende trabalhar em tempo integral assim que chegar! Eu sinceramente cheguei aqui com francês super básico e realmente não me arrependo, em 3 meses eu aprendi o que provavelmente levaria uns 2 anos no Brasil em curso de línguas, e não gastei um centavo sequer aqui com estudo, longe de querer não incentivar ninguém a estudar, o que quero dizer é que quem está com o CSQ em mãos deve tentar estudar em casa, fazer a francisação on line e economizar $ p/ vir, ao invés de torrar fortunas em cursos de francês, essa é a minha opinião pessoal!
As outras ditas preparações pré-viagem, o que às vezes acontece é que antes vc. faz planos, traça metas, imagina uma coisa e quando chega aqui vc. acaba mudando quase tudo o que ficou meses pensando ou tentando agilizar antes de chegar! Mais uma vez digo que essa foi a minha experiência, provavelmente outras pessoas possam ter tido experiências diferentes, mas comigo foi assim, lá do Brasil eu sempre conversava com quem estava aqui, lia fóruns de discussões sobre diversos assuntos ligados a Québec, me inscrevi no site Bila 6 meses antes de viajar, pesquisei apartamentos p/ morar, etc...
Bom, quando cheguei, percebi que quase tudo só dá p/ resolver aqui mesmo, e é bem melhor resolver só quando estiver aqui! por exemplo apartamento p/ morar, para quem ainda não conhece a cidade é difícil saber onde quer morar, muitos dizem: em Ville de Québec não tem bairro ruim, eu discordo, tem sim, eu não gostaria de morar em Limoilou, passei por lá algumas vezes e não gostei, tenho amigos que moram lá e tbm não gostam, vão sair de lá logo logo, dizem que lá se vê de tudo, vidros de carro quebrados, pessoas mal encaradas, todos os tipos de imigrantes, daqueles bem fedidos que quem tá aqui sabe do que estou falando...eu desde o início pensei em morar em Saint Foy, mas planejava gastar bem menos em aluguel, pois via apês legais no Kijiji na casa dos 700 contos, daí chegamos aqui e não encontramos nada do jeito que eu havia planejado, pesquisado, orçado, e como tínhamos pressa em ir p/nosso cantinho não pudemos esperar o tal apê legal que sempre via nos anúncios do jornal...adoro meu apê, ele é tudo de bom, mas pago caro, esse ano vamos nos dar esse luxinho de ficar aqui, quem sabe ano que vem mudamos p/ um mais barato!
Detalhe importante: eu sempre lia do Brasil as pessoas falando dos tais 3 meses da garantia do aluguel, eu sempre achei normal, pois chegamos aqui sem fiadores, sem histórico de crédito e nada mais normal do que pedirem uma garantia. Mas ninguém me falou que essa garantia seria os 3 últimos meses do contrato, e não os 3 primeiros, ou seja, no nosso caso que o contrato é de 12 meses, o $ vai ficar "parado" na imobiliária até 2011! Por mais que me digam, aqui isso é normal, todos passam por isso, etc...eu fico incomodada com isso, como advogada, pois estou num país onde me dizem que lei é lei, regras são regras, e essa prática tão usual das imobiliárias com os imigrantes aqui é completamente ilegal segundo a Regis du Québec, que dita a lei do inquilinato daqui! Isso me incomoda, saber que estão, de certa forma, usurpando a lei para segurar minha $! Ainda não engoli isso!
Outra situação, quando cheguei aqui fui atrás de várias garderies com a minha inscriçãozinha do Bila em mãos, todos me disseram: quando houver vagas, entramos em contato! Isso é uma mentira!! Aqui as garderies do governo, as de $ 7 dólares por dia funcionam mesmo é por indicação, quando sai uma criança, a família sempre vai indicar um conhecido que tá procurando e este vai pular a fila de espera e o tal "jeitinho" vai dando as caras por aqui tbm!
Eu, graças ao meu bom Deus e graças às minhas inúmeras visitas numa garderie aqui perto, com uma estrutura maravilhosa, do governo, de $7 dólares por dia e que NÃO funciona pela lista do Bila, consegui matricular o Ricardo p/ setembro, quando começa o ano letivo daqui, estou bem feliz com isso, acredito que para ele vai fazer muito bem! Nesta que ele estuda agora, que é privê, $25,00 por dia, ele fica bem deslocado pois as crianças da idade dele saíram e tem muitos bbs e não é uma escola de verdade!
Então só aqui vi que procurar garderie desde o Brasil acho que não adianta de nada mesmo, o que vale é chegar aqui e bater na porta daquelas que são independentes do Bila ou procurar algum conhecido p/ te indicar quando este for tirar o filho de lá!
Tirando esses contra-tempos normais de quem imigra tudo vai bem! Eu e Richard continuamos na francisação, eu estou gostando de lá, tenho aprendido muita coisa, apesar de ser super-hiper cansativo, tem dias que chego em casa um bagaço, acho que por excesso de informações no mesmo dia!
Tenho um grupo de amigas aqui e nos reunimos de 15 em 15 dias para o clube da Luluzinha, sempre na sexta-feira, cada dia na casa de uma para fofocar, dar risada, reclamar da vida, dos maridos, da francisação, é muito legal, pois além de trocarmos experiências, conseguimos desabafar, ver que os problemas são mais comuns e mais simples de se resolverem, além de termos sempre novidades para ouvir, para contar e nos sentirmos mais "acolhidas", pois como sempre digo, os homens não servem p/ ouvir reclamações de imigração, pois eles já tem as deles p/ pensar e não tem a mesma necessidade de se abrirem como nós mulheres temos! O último encontro foi aqui em casa, foram 10 meninas reunidas, cheias de novidades, algumas nem se conheciam ainda e falando todas ao mesmo tempo, foi super divertido, mas quem ouviu de longe deve ter se assustado, rsrsrsrs! Amanhã tem mais! Não vejo a hora!
Bom, para finalizar, digo que depois de 3 meses aqui, tudo começa a entrar nos eixos, aqui é bem fácil de se adaptar, a cidade é maravilhosa, os quebecois são simpáticos e não achei eles frios como sempre ouvia dizer, (quer conhecer pessoas frias dá uma passada lá em Curitiba que vc. vai conhecer bem! kkkk) o meu francês continua tupiniquim, mas a maratona da francisação deve estar servindo mesmo, pois minha profe discorda totalmente disso, e já consigo me virar bem no telefone, falar com os ógãos públicos e dizer tudo o que pretendia dizer quando telefonei e entender quase tudo o que me dizem ao telefone (no início parecia uma tarefa complicadíssima), consigo manter uma conversa com um quebecois por mais de 10 minutos sem querer fugir por falta de vocabulário e assim a nossa vida aqui vai seguindo! Aqui , no momento, com esse verão eu poderia dizer que estou vivendo no paraíso, se não fosse a grana curta e a vontade de comprar todas as coisas baratérrimas que vejo e não posso comprar! mas início é assim mesmo, estamos plantando este ano p/ poder colher os frutos mais tarde! Daqui a pouco o Rica muda de garderie, vai sobrar mais grana, ele vai ficar mais feliz com crianças da idade dele numa escola de verdade e eu tbm vou ficar mais tranquila, pois este assunto tem me tirado o sono nas últimas semanas, tem dias que atrasamos no curso, pois ele não quer entrar na garderie, tadinho! Estou contando os dias!